terça-feira, maio 31, 2005

ALJUSPESCAMAR - Protagonistas à Força

"O Aljuspescamar é um dos eventos desportivos mais significativos do nosso concelho, com características únicas a nível nacional. É uma iniciativa espontânea que nasceu da acção de um grupo de pessoas que nada mais ambicionava do que um momento de convívio saudável. O ano passado teve perto de 150 inscritos e mais uma vez foi um sucesso.
Este ano, a Câmara Municipal (em articulação com uma organização de “estrelas locais”) “meteu o dedinho” e fez tudo para que o evento coincidisse com a Feira do Campo. Colocou um técnico à disposição (José Manuel Mariano), ofereceu bilhetes para a feira aos participantes, organizou uma formação de pesca à bóia, fez os contactos, em suma, como em muitas outras situações, chamou a si o protagonismo. O slogan era “ALJUSPESCAMAR JÁ”.
Resultado:
9 (nove) pescadores, ou seriam 8 (oito), apresentaram-se às 7 da matina na praia da Ribeira da Azenha. Pior, organização e representante da Câmara Municipal nem vê-los.

MORAL DA HISTÓRIA: “quem tudo quer, tudo perde” ou “muita parra, pouca uva”.

LEMA: “Quando nos falta a imaginação e/ou a vontade de trabalhar apropriamo-nos das ideias e do trabalho dos outros, é mais fácil”. Assim se faz mossa numa das iniciativas mais interessantes do nosso concelho.
MARX
PS – A formação de pesca à bóia teve 0 (zero) inscritos."
Mais uma vez destacamos um comentário que achamos relevante se bem que não concordamos com a parte em que se culpa o José Manuel Mariano! É de louvar a capacidade organizativa que ele tem bem como a ideia da formação de pesca à boia, sem dúvida que foi uma ideia pertinente e encaixava-se da melhor forma, associado ao Aljuspescamar se este tivesse corrido bem!
Agora, porque não correu da melhor forma?
É pena que iniciativas como esta tenham estes resultados!
Terá sido culpa da Câmara? Da organização? Ou estamos numa "Maré" de azar?

sábado, maio 28, 2005

Onde pára a Polícia?

Segundo consta, conseguimos apurar através de fontes fidedignas que foi desta forma que os visitantes da Feira do Campo foram "enxotados" do recinto enquanto entoavam os cânticos do tema "Somos livres (uma gaivota voava voava)" atrás das grades do recinto!
Às 4 e pouco da manhã chegou um contingente da GNR, armado com bastões para expulsar os foliões que apenas queriam continuar a divertirem-se sem incomodar ninguém.
Mas para quem não sabe, a GNR não está cá para manter a segurança e protecção dos cidadãos, conforme palavras de um GNR, mas sim, para se assegurar que a noite acaba às 4 da manhã, mesmo para quem tenha a exploração dos bares e tenha pago até às 5h.
Onde pára a polícia nos momentos de aflição da população, em tantos casos em que a sua presença tanta falta faria?
Que o diga a população de Coruche por exemplo…
Basta-nos a memória do que tanta gente sofreu para podermos viver em liberdade, e depois disto tudo, termos políticos que apelam a mais forças policiais nas ruas, para quê?
Será para sentirmos a dor de um bastão no pêlo para sermos cidadãos mais civilizados?
Ou para nós também podermos sentir o regresso da PIDE nas nossas ruas?
É pena a primeira noite da Feira ter que terminar assim, será que a GNR não tem mais nada com que se ocupar? Será que os incomoda ver as pessoas a divertirem-se?

sexta-feira, maio 27, 2005

Câmara assina protocolo com Faculdade de Belas-Artes

No seguimento de intercâmbios culturais tidos com professores da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e a Câmara Municipal de Aljustrel, foi assinado no passado dia 18 de Maio um protocolo entre estas duas entidades com vista "à promoção e desenvolvimento de acções de mútua colaboração e o estabelecimento de programas para a realização de projectos em domínios de interesse comum", divulgou em nota de imprensa a autarquia mineira.
No âmbito destas acções, a partir de agora e durante um ano, poderão ser realizados, em Aljustrel, ciclos de conferências, cursos livres, exposições e workshops pela Faculdade de Belas-Artes, cujo apoio logístico será garantido pela Câmara.
Uma das primeiras acções a ser concretizadas será a criação de uma escultura, pelo artista João Duarte, cuja maquete será executada ao vivo durante a V Feira do Campo Alentejano e a obra colocada posteriormente em lugar apropriado na vila mineira.
Cá está uma iniciativa interessante que não sabemos porque razão não a divulgaram no site da Câmara Municipal, nem no programa da Feira.
Mas entende-se talvez por falta de espaço, onde se iria colocar depois aqueles Grupos Corais todos?

terça-feira, maio 24, 2005

Feira do Campo Alentejano…. Um Desperdício

"Exercício de desinteligência por parte da Câmara Municipal de Aljustrel, a FEIRA DO CAMPO ALENTEJANO (já na sua 5ª edição), presenteia mais uma vez os munícipes e visitantes com um programa completamente desinteressante. Mais um evento pago por todos nós, sem objectivos, sem avaliação de resultados, sem qualidade, sem nada de novo. Verdadeiro espelho da criatividade e visão da nossa autarquia.
Seria simples, e ideal, envolver outros actores na planificação, execução e avaliação deste evento (por exemplo, as associações e empresas locais), mas não. Como em muitas outras situações (para não dizer todas) a nossa novel, omnipresente e omnisciente Câmara, assume todo o protagonismo. Sobrecarrega os serviços da Câmara (experimentem ir ao gabinete de desenvolvimento neste período), sobrecarrega o orçamento (pagamento de horas extraordinárias, combustível, etc.), em suma, a câmara “quase” que pára antes, durante e depois da Feira do Campo. É uma tristeza e um desperdício.
Era fácil com estes recursos fazer algo de novo, de diferente, que “chama-se” pessoas de fora ao nosso concelho. Era fácil criar itinerários dentro da vila de forma a que os visitantes conhecessem a nossa terra, em vez de acantonar as pessoas horas a fio dentro de barracões. Era fácil fazer um programa mais atractivo, moderno e heterogéneo. Era fácil estimular as nossas empresas a apresentarem stands mais apelativos e a participarem mais activamente. Era fácil envolver as associações locais na organização… Era fácil… era fácil… mas não se faz.
E porque não se faz? Porque as pessoas não querem, são autistas, tem medo da participação, são fracos e medrosos.
Quem gosta da nossa feira é porque viu pouco… ou porque não quer ver mais (o que é grave). Tenho dito.
MARX
PS – Um cumprimento aos funcionários da CMA que participam na realização deste evento. Uns pensam (mal)… outros fazem (mesmo contrariados). Viva a flexibilidade e polivalência (forçadas) na função pública…e ainda se dizem comunistas… porra… comunista devo ser eu… e não sei. "
Sem dúvida um excelente ponto de vista do MARX que merece o devido destaque, só não percebemos porque não seguem este caminho onde todos saíriam a ganhar!

domingo, maio 22, 2005

Será hoje que fogem à normalidade?

O campeão nacional será conhecido hoje, daqui a poucas horas.
O Benfica, líder actual, parte em vantagem sobre o FC Porto, necessitando de apenas um ponto no Bessa para ser campeão.
Aconteça o que acontecer, os benfiquistas fizeram a festa a semana passada, vamos ver se hoje a podem repetir e reforçar.

sexta-feira, maio 20, 2005

CDU recandidata José Godinho à Câmara Municipal de Aljustrel

O economista José Godinho, de 60 anos, volta a recandidatar-se à presidência da Câmara Municipal de Aljustrel nas próximas eleições autárquicas, anunciou a concelhia comunista. Actualmente presidente da câmara, Godinho tentará assim ser reeleito para um quinto mandato. Militante do PCP, actual membro do conselho directivo da Ambaal e do conselho de administração da Amagra, José Godinho é líder camarário em Aljustrel desde 1989. Entretanto a CDU também já anunciou o candidato à Assembleia Municipal. Trata-se de Luís Bartolomeu, que actualmente já preside àquele órgão. Com 67 anos, Luís Bartolomeu é professor do ensino básico aposentado, mas exerce funções de presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja.Refira-se que em Aljustrel, além de José Godinho, já são conhecidos os nomes dos candidatos do PS, Nelson Brito, e do PSD, Maria Deolinda Mestre.

quinta-feira, maio 19, 2005

Alentejo detém taxa de desemprego recorde

"O Alentejo mantém a taxa de desemprego mais elevada do país. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, no primeiro trimestre de 2005, a região registou uma taxa de desemprego de 9,3 pontos percentuais. Em período homólogo a taxa de desemprego cifrou-se nos 8,1%. O comentador Rádio Pax para assuntos económicos considera que o Alentejo “bateu no fundo”. Lança Silva defende medidas de excepção para a região.
O Alentejo tem taxa de desemprego recorde."

quarta-feira, maio 18, 2005

Será imaginação...

A poucas horas do Sporting e CSKA Moscovo deciderem quem irá vencer a Taça UEFA e após a derrota de domingo frente ao rival Benfica (1-0), o afastamento do título de campeão nacional está garantido, colocam-se agora as questões "Será que o Sporting vai continuar no mundo da ilusão?" Ou "Vai somar o único troféu da temporada?"

sexta-feira, maio 13, 2005

Onde pára a Santa?

Um homem que se dirigia em peregrinação a Fátima morreu nos arredores de Coimbra, depois de ter sido colhido por uma viatura…
O acidente aconteceu numa altura em que milhares de peregrinos rumam ao Santuário para celebrar mais um aniversário da aparição da Virgem aos três pastorinhos de Fátima…

Com todo o respeito para com os familiares deste fiel peregrino.

Após ter lido esta notícia num jornal, ficamos com um sentimento de dúvida. Então há Santa ou não há? Para este fiel peregrino a Santa não pode existir. O que dirá a família desta pessoa? Será a vontade de Deus? Colher um peregrino à ida para Fátima, nem o deixou chegar ao Santuário.

O que estaria a Santa a fazer, para se ter descuidado para com um seu fiel? Preparar-se para a chegada de D. Policarpo? Estaria a falar com a Irmã Lúcia, com João Paulo II ou a combinar com Bento XVI a sua vinda em 2007 ou então quem sabe, a negociar com o “Deus” Mourinho quem vencerá o derby de amanhã?

Oh Nossa Senhora de Fátima! 80 anos após a sua aparição, foi um método muito original para uma nova aparição… aparição rasteira.

quinta-feira, maio 12, 2005

“A PATA” 4 - Ecopontos

Aqui está um óptimo comentário do leitor PUSILÃNIME que aborda um tema que merece grande destaque e que seja debatido por todos nós, uma vez que já surgiram várias vezes neste blog comentários acerca dos resíduos mineiros, lixeiras, ambiente, etc.
“ A PATA” 4
“A PATA” diz-se ecológica. Um dos dedos da “PATA” até é verde. Mas não acreditem na “PATA” porque ela é artificiosa…“A PATA” esconde a porcaria debaixo do tapete.
Olha lá “PATA”, há quanto tempo está em vigor a legislação dos ECOPONTOS? Quantos existem em Aljustrel? Tu que até tens um dedinho verde devias saber, ou não? Tu sabes, “PATA” malandra, mas não dizes a ninguém, tipo pata muda.
Andam os “patinhos” todos de Aljustrel, cheios de boas intenções, a separar os seus resíduos domésticos (lixo), para depois tu, “PATA” manhosa, ires logo a seguir misturar tudo outra vez. Logo tu que te dizes ecologista, defensora dos valores ambientais e que ainda por cima tens um dedo mindinho verde!?
Ó “PATA”, então os outros municípios (que também devem ter as suas “PATAS”, com certeza) pegam no lixinho separado e transportam-no para Beja para ser tratado e reciclado e a dona “PATA” não faz porquê? Porque não tem obrigação, é isso? Porque a legislação não obriga, será? Mas “PATA”, tu que és tão verdinha e que te dizes asseada, precisas de leis para te sentires obrigada a fazer a tua obrigação moral (e ideológica)?! “PATAS”… “PATAS”.
Depois falas de pedagogia, palavra linda e que te enche a boca. Estamos há quantos anos em processo pedagógico? 3, 4 anos? O macaco Gervásio do spot televisivo precisou de apenas 2 horas para aprender a separar o lixo? Os Aljustrelenses precisam de… 4 ANOS? Será que tu, “PATA”, achas que estamos num ramos evolutivo inferior ao nosso “primo” chimpanzé Gervásio?! Será?
Olha “PATA”, se nós estamos num nível inferior ao Gervásio tu estás ligeiramente a cima de um SUS SCROFA… vai lá a Internet ver o que é….
PUSILÃNIME
PS – Gostava que a “PATA” me respondesse para podermos trocar impressões sobre outros aspectos ambienteis giros como: lixeiras, matadouros, resíduos mineiros e coisas do género.

terça-feira, maio 10, 2005

Aljustrel na Ovibeja

Mais uma vez iremos destacar um comentário que na nossa opinião nos parece bastante pertinente e uma vez que não tivemos oportunidade de visitar este grande evento da nossa região, aqui fica a opinião do nosso leitor Marx.
PS – Marx, o objectivo do blog é incentivar a participação dos leitores, portanto, não se coloca o problema de substituição dos autores, obrigado pelo comentário e continue a participar.
"Sendo o futebol um tema interessante, não me parece que a discussão gerada por este post o seja, mas é só uma opinião. Portanto, correndo o risco de me substituir ao autor do blog (lamento), cá vai:
ALJUSTREL NA OVIBEJA
Terminada a OVIBEJA, fico, mais uma vez, com um “amargo de boca”. O Município de Aljustrel estava, mais uma vez, representado no pavilhão institucional, estava sim senhor. Mas, os que olharam atentamente para o stand representativo da nossa querida terra (e não foram muitos, com certeza), desiludiram-se: uns placards, uns folhetos de auto-promoção (como se em Aljustrel só existisse a Câmara municipal), uns funcionários com ar de frete (pudera) e…mais nada.
Será esta a forma mais eficaz de dar a conhecer o nosso concelho? Será que é uma representação “SEM VIDA” que atrai investidores e visitantes para a nossa terra? Não me parece! A OVIBEJA é, bem ou mal, a maior montra da nossa região. “Todos” o sabem, menos “alguns”.O meu “amargo de boca” é bem real. Será que alguns (e não eram precisos muitos) dos milhares de euros que são investidos na nossa inócua “FEIRA DO CAMPO” não deveriam ser transferidos para a promoção do concelho na OVIBEJA e noutros certames externos? Acho que sim! Mas a nossa Câmara prefere continuar a fechar-se sobre si própria (orgulhosamente sós), até porque não é a OVIBEJA que rende votos, promover para dentro rende mais. É pena…é amargo e perdemos todos.
Refira-se que alguns Stands de autarquias presentes tinham mostras de gastronomia regional, artesãos a trabalhar no local, etc., etc. E nós, não temos nada para mostrar? Temos, temos muito…porque se não tivéssemos a “FEIRA DO CAMPO” não faria sentido…lógico.
MARX
PS – Os ofendidos (porque os há sempre que aqui escrevo) escusam de me sugerir rebuçados para atenuar a amargura…já tentei e não resultou.
PS 2 – Estou a pensar colocar este comentário no jornal on-line “Noticias do Alentejo”, mas não sei se tenho autorização dos sensores que proliferam por este blog. Devem ter medo que se saiba "lá fora" o que se passa por cá?! Liberdade de expressão amigos…liberdade…sabem o que é? Eu sei…e sou."

segunda-feira, maio 09, 2005

Corrector Ortográfico vs Compatibilidade

Estavamos a fazer um post mas surgiu-nos um problema com o corrector ortográfico do Word...
Cada vez que escrevemos "BENFICA CAMPEÃO", ele pergunta:
- "Tem a certeza que quer manter as duas palavras juntas?"
Clico no "Sim" e o computador continua:
"Por favor aguarde... A instalar o Word 1.0, Versão 93/94".

Dedicado à grande legião de Benfiquistas existentes na nossa humilde terra!
Dói n'doye

terça-feira, maio 03, 2005

Imagine-se Vereador da Cultura nem que seja por um momento!

À semelhança do que aconteceu no site da Ovibeja, a organização do evento, antes de decidir quais as bandas a participarem elaborou uma sondagem com o objectivo de identificar as preferências dos visitantes. Pelos vistos deu resultado e como devemos seguir os bons exemplos, aqui fica a sugestão.
Muito se tem falado das bandas que irão animar as noites da esperada Feira do Campo.

Dia 13 de Junho, como todos sabem iremos ter mais um feriado municipal, em que anualmente a CMA nos congratula com um concerto.

Devido a toda esta discussão gerada sobre se as bandas devem ou não vir a Aljustrel, vamos realizar a segunda mini sondagem, desta vez para tentarmos apurar as bandas que seriam do agrado dos Aljustrelenses. Para tal deixe um comentário com a(s) banda(s) que desejaria ver em Aljustrel e esta(s) serão adicionadas à sondagem para posteriormente serem votadas!
Já que tanto se tem criticado a programação de anteriores eventos, agora aqui vamos poder ver se é só criticar o que está feito ou se também há capacidade para criar um programa aliciante e que satisfaça toda a população.

Pode ser que alguém da Câmara Municipal visite este Blog e obtenha alguma ideia!

segunda-feira, maio 02, 2005

Blogs e o Anonimato!

Mais uma vez destacamos um cometário pertinente, desta vez publicado por nikonman e destacado neste blog por PUSILÂNIME.
Blogices
Sei que isto não tem nada a ver com o assunto do post, lamento, mas como tem existido tanta polémica em torno dos blogs aljustrelenses, cá vai:
PALCO DAS ARTES -5-
O meu contributo semanal para o programa "Palco das Artes" (RADIO Pax, 101.4 FM,5ªs 18h-19h00), onde falo de blogs e blogosfera.
Um dos assuntos mais discutidos quando se fala de blogs é o anonimato.
Discute-se muito, e julgo que em demasia, se um blog deve ou não ser anónimo, se o seu editor deve dizer quem é, isto é, se ao blog se deve ou não associar uma pessoa.
Vamos então por partes.
Na blogosfera, como na Internet, há anónimos para todos os gostos.
Há quem tenha um blog onde é puramente impossível perceber quem está por detrás do mesmo. Julgo que não vem nenhum mal ao mundo que isso aconteça.
Muitas pessoas escrevem e guardam os seus escritos numa gaveta ou num baú, resguardados de olhares mais ou menos indiscretos.
Conheço pessoas que toda a vida escreveram histórias, poemas e contos e nunca outros olhos, que não os do próprio autor, tiveram a oportunidade de os ler.
Hoje, com os blogs, esses escritos viram a luz do dia sem que o tão desejado anonimato tenha sido minimamente beliscado.
Há também quem goste de escrever sobre assuntos mais críticos, de fazer análises, por exemplo, sobre a política na sua cidade, não querendo, por razões legítimas e que se respeitam, dar a conhecer a sua identidade, a maior parte das vezes com receio de algum tipo de represália.
Este tipo de anonimato, que não gera conflitos interpessoais nem serve para difamar, é uma característica muito peculiar do mundo da blogosfera e não me parece que seja censurável.
Há, porém, quem a coberto do anonimato, escreva em blogs para atacar e ofender outras pessoas, de forma muito deselegante e sem dar a mínima hipótese de defesa por parte dos visados.
São anónimos que aparecem com blogs, efémeros, pois os seus objectivos raramente são atingidos e esta coisa de estar sempre a bater na mesma tecla também cansa.
Estes blogs anónimos desaparecem, pois como não têm credibilidade ninguém lhes liga e, na blogosfera, a interactividade é uma mais valia, se não a sua principal característica.
Há também aqueles anónimos que salpicam as caixas de comentários dos blogs com ofensas pessoais, com linguagem imprópria para leitura, porque de má qualidade e que se entretêm a massacrar as suas vítimas. São os chamados “anónimos saco de plástico continente”, porque são úteis - fazem crescer os contadores, mas são barulhentos e acabam sempre a sua vida a forrar um caixote do lixo.
O assunto – anonimato na blogosfera – será um dia encerrado quando houver a possibilidade legal de demandar judicialmente a quem profere impropérios e use a mentira como argumento.
E como esta coisa do anonimato só tem piada se mostrarmos exemplos, trago-vos hoje um blog, todo ele anónimo, pois do seu autor ou autora nada se sabe.
O blog chama-se “A PUTA FINA” e quem lá escreve assina por Maria Calhorda, que nos conta que, com quinze anos de idade, veio da aldeia de Baleizão, servir numa casa desta cidade, para acabar na prostituição. A Maria Calhorda apareceu em blog no Verão passado, depois apagou-se, mas por ocasião do Natal, e quando nesta Praça se distribuíam os Pelourinhos 2004, ela reapareceu, para depois voltar a mergulhar nos lençóis voluptuosos do silêncio.
Este blog pode ser lido através de http://aputafina.blogspot.com/ e apetece-me dizer-lhe, volta Maria que estás aperdoada!
Publicado por nikonman
Esclarecedor...ou talvez não?!
PUSILÂNIME

domingo, maio 01, 2005

Cantigas do Maio

Eu fui ver a minha amada
Lá p'rós baixos dum jardim
Dei-lhe uma rosa encarnada
Para se lembrar de mim
Eu fui ver o meu benzinho
Lá p'rós lados dum passal
Dei-lhe o meu lenço de linho
Que é do mais fino bragal

Minha mãe quando eu morrer
Ai chore por quem muito amargou
Para então dizer ao mundo
Ai Deus mo deu Ai Deus mo levou
Eu fui ver uma donzela
Numa barquinha a dormir
Dei-lhe uma colcha de seda
Para nela se cobrir
Eu fui ver uma solteira
Numa salinha a fiar
Dei-lhe uma rosa vermelha
Para de mim se encantar
Minha mãe quando eu morrer
Ai chore por quem muito amargou
Para então dizer ao mundo
Ai Deus mo deu Ai Deus mo levou
Eu fui ver a minha amada
Lá nos campos eu fui ver
Dei-lhe uma rosa encarnada
Para de mim se prender

Verdes prados, verdes campos
Onde está minha paixão
As andorinhas não param
Umas voltam outras não
Minha mãe quando eu morrer
Ai chore por quem muito amargou
Para então dizer ao mundo
Ai Deus mo deu Ai Deus mo levou

Refrão popular/José Afonso