quinta-feira, agosto 25, 2005

Furos para piscinas são prejudiciais

Mais de 200 furos foram abertos no concelho de Beja nos últimos dois anos, podendo vir a prejudicar o abastecimento de água às populações daquele concelho.

"A denúncia vem de Francisco Caixinha, responsável pela Empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja, que se questiona como funcionam os regimes de licenciamento e de fiscalização de tais captações de água, a cargo da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA).
“Trata-se de furos sobretudo em propriedades privadas, destinando-se a água a habitações e a piscinas”, realçou ao CM, reforçando que estas captações “contribuem para que os lençóis freáticos estejam a descer bastante.”
A solução passa por salvaguarda uma reserva estratégica de apoio ao concelho, “e isso não está a ser feito”. Importante é, também, a poupança, a qual deverá chegar aos 8% este mês. O responsável lembra que a Barragem do Roxo, de onde provém a água que abastece a rede pública dos concelhos de Beja e Aljustrel, está actualmente com 19% da sua capacidade.
Já Rui Sequeira, da CCDRA, garante que a fisclização foi reforçada aos furos na zona dos bairros de Beja (aquífero entre Ferreira do Alentejo e Serpa) desde Março, não se registando “aumento dos autos de notícia.”
Madalena Lino"
in, Correio da Manhã 2005-08-19