quarta-feira, agosto 10, 2005

Onde pára a GNR?

"Gostaria de deixar aqui a minha preocupação com a nova onda de assaltos que se faz sentir em Aljustrel.
Como deve ser do conhecimento da população, a Vila de Aljustrel está mais uma vez a ser fustigada, por assaltos a habitações, assaltos a pessoas com ofensas corporais, destruição e roubo de viaturas, etc.Esta pergunta já foi feita muitas vezes, mas tem de ser feita novamente:
ONDE ESTÁ A GNR, E O QUE É QUE ESTÃO A FAZER PARA MINIMIZAR ESTE GRAVE PROBLEMA?
Gostaria muito de ouvir dizer que a GNR apanhou o "fulano-de-tal", que estava a destruir uma viatura ou a tentar entrar numa habitação.
Eu e muitas pessoas sabemos quem está a fazer este tipo de coisas, será que a GNR não sabe, ou pelo menos não poderia tentar saber?
Toda a gente sabe que o Jardim é um antro de delinquência, e que dali partem grupos +- organizados para este tipo de actividades.
Sugeria, se tál me é permitido, que as autoridades, pelo menos durante uma semana vigiassem o jardim, mas discretamente, sem darem muito nas vistas.
De certeza que iriam ter sucesso.Acho que fazer ronda com o jeepnão é suficiente, ou até nem serve para nada, só serve para avisar os possiveis prevaricadores de que a GNR se aproxima.
As rondas a pé tambem são muito importantes.
A população de Aljustrel está a ficar saturada de não ver resultados, e entretanto as coisas continuam a acontecer.A GNR vai ter um quartel novo e concordo, mas tambem acho, que, se não se começarem a ver resultados, então toda aquele obra é obsoleta.
A actividade da Guarda não se pode cingir às multas por mau estacionamento, queremos ver tambem "multas" por outras infrações muito, mas muito bem mais graves.
Devo dizer que tenho conhecimento de pessoas que vão andar por ai, para tentar fezer justiça pelas proprias mãos, o que não acho de maneira nenhuma correcto.
Apelo à GNR, e sei que são competentes para tal, que tentem evitar desgraças maiores, e estou preocupada porque o meu marido tambem está metido no grupo de possiveis milicias populares.
Muito obrigada
Ana"
Mais uma vez achamos relevante o destaque ao comentário de uma leitora, não temos conhecimento da veracidade destes factos, pelo que agradecíamos uma discussão calma e por favor, sem politica e sem ofensas!